Suínos_Central

O Brasil figura, hoje, em quarto lugar no ranking mundial de produção e exportação de carne suína. O setor, que atua integrado por meio de entidades como a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) e a Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (ABIPECS), tem vivenciado um crescimento contínuo do consumo no mercado interno.

Domesticamente, a perspectiva para este ano é positiva. A carne suína, que atrai cada vez mais o consumidor brasileiro, ainda verá o crescimento do consumo puxado pelo acontecimento da Copa do Mundo que o Brasil sediará e a consequente vinda de turistas europeus – o principal consumidor mundial – tornando esse mercado mais atraente no primeiro semestre, conforme afirma o presidente da Associação Paulista de Criadores de Suínos (APCS), Valdomiro Ferreira Júnior.

Com um consumo médio em 2012 atingindo 15,1 Kg por pessoa no país, o setor está articulado em torno de temáticas inovadoras para elevar o consumo ao patamar de países da Europa e EUA, que ultrapassa a 30 Kg per capita. Para 2015, o setor definiu como meta alcançar 18Kg de consumo por pessoa.

Nesta direção, as entidades representativas do setor estão promovendo transformações para lá de animadoras no ambiente de negócios. Uma delas são as sistemáticas campanhas de estímulo ao consumo no país que, em 2013, alcançaram um feito inédito: incluir o varejo na Semana Nacional da Carne Suína.

Essa experiência exitosa está retratada no dossiê da Semana Nacional da Carne Suína, realizada entre os dias 2 e 16 de outubro de 2013 em todas as lojas do Grupo Pão de Açúcar. A inserção de estabelecimentos que comercializam alimentos para consumo no lar é fruto da renovação de uma parceria com o SEBRAE Nacional, por meio do Projeto de Desenvolvimento da Suinocultura (PNDS) para dar continuidade a um trabalho junto aos elos dessa cadeia produtiva desde 2009.

O PNDS, que já era realidade em diversos estados brasileiros, também ganhou abrangência em 2013 e passou a atender suinocultores de Pernambuco e Sergipe, ampliando a capacitação a centenas de profissionais do setor. O treinamento, um dos pilares da estratégia do projeto, juntamente com informação qualificada, envolvimento do setor e ações de marketing contribuiu para um crescimento da ordem de 77% em relação ao mesmo período do ano anterior, durante a Semana Nacional: quase o dobro da expectativa inicial.

 

O marketing da saudabilidade

Determinado em levar uma mensagem bem direcionada que atinja o cliente e proponha uma nova visão sobre a carne suína, o setor vem enaltecendo o sabor, a versatilidade e o preço acessível do produto diretamente nas gôndolas do varejo.

Uma das ferramentas que açougueiros, gestores do varejo, donos de bares e restaurantes, chefs de cozinha, nutricionistas, médicos e todos os profissionais ligados ao setor de alimentação têm para trabalhar com essa nova imagem da carne suína é o Manual Brasileiro de Cortes.

Diante de um consumidor contemporâneo que quer comprar rápido, em pequenos volumes, para alimentar uma família cada vez menor e cada vez mais preocupada com o impacto da alimentação sobre a saúde, o Manual é uma referência prática, objetiva e funcional para que estabelecimentos possam buscar a fidelização dos clientes e a ampliação do giro dos produtos.

 

Conteúdos Relacionados: