Rodrigo Stocco, um dos sócios da MyGloss

Percebendo que havia no mercado demanda por acessórios que traduzissem as tendências da moda e incrementassem o look da mulher brasileira, a MyGloss conquistou o público feminino com estratégias de comunicação nas redes sociais. Antes mesmo de se lançar como loja de acessórios, os donos criaram um perfil no Facebook para dar dicas de modas para seu público-alvo. A ideia era, antes de entrar no mercado propriamente, fortalecer a marca na mente e corações das consumidoras investindo muito pouco. Parece que a iniciativa deu certo: mais de 866 mil pessoas curtem a página da MyGloss no Facebook; e o alcance é de dois milhões de pessoas por semana.

“Desde o começo, a nossa estratégia de entrar no Facebook era para posicionar a marca, por meio da prestação de serviço. Isso acabou servindo como um viral, e o resultado foi muito acima do que esperávamos. As pessoas que entravam na nossa página e liam as dicas de moda começaram a perguntar, por exemplo, como ir a uma festa de formatura. Respondíamos na hora àquela consulta, funcionava como uma consultoria de estilo instantânea. Isso encantou nossas leitoras e gerou um burburinho muito grande.”, conta Rodrigo Stocco, um dos sócios da MyGloss.

Em meados de 2009, Rodrigo Stocco já empreendia como franqueado de cinco redes diferentes, quando viu o projeto da irmã, a designer Kátia Stocco, de criar acessórios para vender em lojas de roupas ou especializadas. Ao notar o potencial dos produtos idealizados por Kátia e já conhecendo a demanda do mercado por acessórios que acompanhassem as tendências de moda, Rodrigo propôs a Kátia a criação da franqueadora MyGloss.

Enquanto o projeto de franquia era desenvolvido – definição de mix de produtos, padrão da loja, processo de produção etc. –, a estratégia de lançar a marca via rede social era aplicada. O perfil da MyGloss no Facebook entrou no ar em janeiro de 2010. Então, não havia lojas físicas. Só há um ano é que lançaram a primeira loja.

É importante destacar que quando a primeira loja foi lançada, a página da MyGloss no Facebook já tinha 60 mil seguidores, ou seja, o volume de consumidoras potenciais dos produtos da franquia era enorme. O público da MyGloss é formado por mulheres entre 18 e 34 anos.

Rede My Gloss

Hoje, a rede MyGloss conta com seis lojas, sendo quatro de franqueados e duas próprias. A maior parte fica em São Paulo, apenas duas estão em Mato Grosso do Sul. A até o final de 2012 terão 11 lojas em funcionamento em cidades com mais de 400 mil habitantes.

“Somos a única rede de acessórios que tem criação própria dos artigos que comercializa, principalmente, bijuteria. Isso porque queremos fugir do conceito de imitação de joias, valorizando a ideia de acessório de moda. Para isso, nós criamos uma coleção de acessórios – propriedade intelectual nossa. Temos parceiras exclusivas que fabricam as peças para as lojas da MyGloss.”, destaca Rodrigo.

A rede de franquia se enquadra no segmento “Acessórios Pessoais e Calçados”. Todos os produtos que vende são criados por Kátia Stocco. Entre os itens estão bolsas, cintos, lenços, colares, acessórios de cabelo, brincos, pulseiras e anéis. Os preços variam de R$ 19 a R$ 499.

Divulgação

Segundo Rodrigo Stocco, 100% da divulgação da marca está baseada nas redes sociais. Apesar de ter perfil em outras redes – Twitter e Instagram, por exemplo –, o Facebook continua como carro chefe. Por isso, a rede de franquia conta com três profissionais para cuidar dos perfis.

Rodrigo Stocco ressalta que o trabalho de divulgação nas redes sociais só dá certo se houver esta prestação de serviço.

“Muita gente entra nas redes sociais para só vender algum produto. Entretanto, no nosso caso, não teríamos chamado tanta atenção se estivéssemos apenas vendendo os nossos acessórios, sem ter conteúdo e prestação de serviço. Com as dicas de moda, as pessoas pedem para comprar os nossos produtos.”, diz o empresário.

A rede de franquia também investe em assessoria de imprensa, que tem papel importante na hora de identificar e contatar as blogueiras de moda. A divulgação da marca para as formadoras de opiniões é muito utilizada quando vão lançar a MyGloss numa praça nova.

“Convidamos as blogueiras de moda daquela praça para cobrir o lançamento da MyGloss e apresentar a marca para as pessoas. Esta é uma estratégia importante porque percebemos que as blogueiras têm uma afinidade muito grande com a nossa história: é uma marca que começou como um blog, foi para uma rede social e depois virou uma franquia.”, explica Stocco.

Franquia

A expectativa é fechar 2012 com R$ 9 milhões em faturamento, 200% a mais do que em 2011. A MyGloss custa R$ 275 mil fora o ponto comercial. A taxa de franquia é de R$ 45 mil com projeção de retorno de aproximadamente 24 meses e faturamento médio mensal de R$ 70 mil. A loja deve ter cerca de 30 a 45 m², com seis funcionários por ponto. O investimento inclui instalação da unidade, estoque, treinamento e ferramentas para gestão do negócio.

“A franquia é um modelo que você já recebe o negócio formatado e testado, e com isso o empreendedor tem um risco bem menor. Se for uma franquia séria, o franqueado vai ter apoio do franqueador no suporte operacional, sem falar que tem escala para investir em marca e os custos de ter uma coleção própria são diluídos.”, avalia Rodrigo Stocco.

Para tornar a MyGloss viável, os irmãos Stocco contrataram consultorias de branding e de estilo, além de manter equipe administrativa e financeira, de distribuição e de campo. Dedicam-se diretamente ao negócio 12 funcionários, mas ao todo, contando as equipes das empresas parceiras, cerca de 25 pessoas estão envolvidas com o projeto.

Redação e edição: Fernanda Peregrino, da F&C Comunicação e Projeto.