EducacaoPesquisas na área educacional apontam que quase um terço dos brasileiros frequentam diariamente a escola (professores e alunos). São mais de 2,5 milhões de professores e 53 milhões de estudantes matriculados em todos os níveis de ensino.

Estes números demonstram um crescimento no nível de escolaridade do povo brasileiro, fator considerado importante para a melhoria do grau de desenvolvimento do país.

Como resultado desse alto índice de frequência escolar, o Censo de 2010 (IBGE) mostra uma queda no índice de analfabetismo no país nos últimos dez anos (2000 a 2010). Em 2000, o número de analfabetos correspondia a 13,63% da população (15 anos ou mais de idade). Esse índice caiu para 9,6% em 2010 e para 7,9% em 2011.

Por outro lado, 731 mil crianças entre 6 e 12 anos ainda estão fora da escola e 34% dos alunos que chegam ao 5º ano de escolarização ainda não conseguem ler.

Esse cenário revela dois desafios relativos ao quadro educacional brasileiro e sobre o qual micro e pequenas empresas podem incidir: a efetiva universalização do acesso e a melhoria da qualidade do ensino oferecido nas escolas brasileiras.

Empresas privadas de educação no Brasil
Levantamento realizado pelo Sebrae mostra que entre 2010 e 2012 cresceu consideravelmente o número de empresas privadas de educação no Brasil. Em 2010 eram 131.689 estabelecimentos privados que ofereciam desde a educação infantil (creche) até cursos de pós-graduação, passando pelo ensino de idiomas, arte, cultura, profissional, entre outros.

Em 2012 esse número já havia saltado para 190.236 estabelecimentos privados de educação em todo o país.

Investimentos e oportunidades
Grande parte dos investimentos em educação no segmento privado vem do capital estrangeiro, com foco no ensino superior. Os grupos internacionais que tentam entrar no Brasil anunciam fôlego para investimentos na ordem de dois bilhões de reais. Com tudo isto fica fácil concluir que há mais dinheiro do que boas oportunidades de negócios.

Embora os grandes grupos tenham um olhar otimista a respeito do novo modelo vigente no ensino privado brasileiro, inúmeros acadêmicos e profissionais da área apontam que o novo modelo pode afetar ainda mais a qualidade dos cursos, que já sofre grandes questionamentos desde que se deu sua expansão.

Para saber mais sobre esse debate, bem como com relação às tendências, desafios e oportunidades que o setor oferece para quem já empreende ou deseja empreender nesse segmento, acesse a íntegra do Boletim de Oportunidades e Negócios.