Mercado_beleza_ASN

Foto: Samella Velez/Agência Sebrae de Notícias

As mulheres brasileiras têm conquistado cada vez mais espaço no mercado de trabalho formal e, consequentemente, alcançaram maior poder de compra. Esse novo cenário vem impactando diretamente o crescimento do segmento de beleza no país. De acordo com pesquisa do Instituto Data Popular, divulgada em junho deste ano, até o fim de 2013, os brasileiros deverão gastar R$ 59,3 bilhões com produtos, serviços de beleza e cuidados pessoais.

A cada mês são abertos sete mil novos salões de beleza no país e, em um ano, o segmento cresceu 43%. A maioria desses estabelecimentos são de empreendedores individuais. Atualmente, a formalização é incentivada pelo governo federal, por meio dessa figura jurídica que reúne negócios com renda anual de até R$ 60 mil. Quem escolhe esse caminho tem benefícios como isenção de taxas para o registro de empresas, cobertura previdenciária, redução da carga tributária, acesso a serviços bancários, facilidade para vender para o governo, entre outras facilidades.

A empresária alagoana Ana Lúcia Laurindo de Oliveira, conhecida desde a infância como Cleia, já trabalha como cabeleireira há vários anos, mas somente há cinco meses decidiu formalizar o seu negócio. Para conquistar e manter a clientela, ela tem investido em capacitação e já participou do curso Gestão de Pessoas e Equipe namedida, oferecido pelo Sebrae em Alagoas.

“Esse curso me fez ter novas ideias. O Sebrae tem me colocado em contato com muitas pessoas do ramo e me encorajou a participar de eventos da área fora do estado, coisa que eu nunca tinha feito”, completou. A empreendedora já participou da Feira HairNor, em Recife (PE), e participará da Beauty Fair, em São Paulo (SP0, neste final de semana.

Para saber mais, leia a íntegra do texto publicado na Agência Sebrae de Notícias.