tendencias-Inverno2016_500x500

Tendências do SPFW para o Inverno 2016

Com base na cobertura do site Fashion Forward (FFW), selecionamos 10 tendências para a moda feminina vistas nas passarelas do São Paulo Fashion Week Inverno 2016, realizada na capital paulista de 18 a 23/10. São características em comum vistas nos desfiles de Fernanda Yamamoto, PatBo, UMA, Animale, Glória Coelho, Helo Rocha, Osklen e Alexandre Herchcovitch, entre outros.

Confira as tendências para a moda feminina no Inverno 2016:

Feito à mão
Nesta temporada, as rendas estarão em alta, bem como os detalhes artesanais. Na contramão do fast fashion, o objetivo é criar produtos de beleza única. Ronaldo Fraga aplicou casulos de seda em um top; Fernanda Yamamoto criou peças com finas rendas; e Alexandre Herchcovitch usou e abusou da moldagem a vapor.

Mulher multitarefa
Algumas marcas mostraram roupas e propostas de looks para a mulher moderna, cheia de tarefas tão diversas entre si, como cuidar dos filhos e da casa, trabalhar e curtir um happy hour com as amigas. Levaram para as passarelas peças versáteis e com foco na alfaiataria, como calças, paletós, camisas e saias com silhuetas descomplicadas. Destacaram-se também os cortes diferenciados, vistos no blazer de Giuliana Romanno, que faz as vezes de mantô, e nas calças charmosas e mais curtas da Animale e da Lilly Sarti. Um estilo que revisita o clássico com informação de moda atualizada.

Mulheres guerreiras
Muitas marcas inspiraram-se em guerreiros (as), e fizeram uma releitura urbana, dark e minimalista da armadura, como se a roupa fosse uma proteção. Dessa ideia surgiram peças com couro, pele e zíper como elemento decorativo, inclusive mesclando estes materiais nas peças.

Casacões
No SPFW, destacaram-se os super casacões, em modelos oversized ou que quase beiravam o chão, feitos com lã, vinil ou couro metalizado. Vitorino Campos apresentou um sobretudo statement, apenas variando nos detalhes: golas e bolsos em outros tons e materiais; e botões decorativos e estampas.

A volta do veludo
Faz tempo que o veludo não era trabalhado com tanta riqueza. Nesta temporada, será visto em muitas peças: das ruas para as festas e vice-versa. O veludo aparece mais na versão molhado, como na Osklen e Animale; Reinaldo Lourenço trabalha o material em looks construídos com renda; e na Amapô, ganha sua versão streetwear.

P&B
O preto e branco aparece nas texturas, no tricô da Coven, nos bordados da Gig Couture, no mix de brilho com alfaiataria, em vestidos de festa e peças elaboradas e casuais.

Anos 90
Esta é a década da vez, depois de um longo reinado dos anos 80, que até aparece em alguns desfiles, como Amapô e Juliana Jabour. O grosso das marcas fez referência aos anos 90, que engloba vários estilos: minimalismo, grunge, cool esportivo, normcore, colorido das raves e toque cibernético do início do mundo virtual. Dá para notar toques dos anos 90 em Vitorino Campos, Gig Couture, Animale e Ratier, entre outros.

Couro
Foi-se o tempo em que o material era utilizado apenas em jaquetas perfecto e cascos sete oitavos. No Inverno 2016, dá para notar o uso do couro com tratamento leve, graças às novas tecnologias, em vestidos, tops de alça e saias. Ele também aparece em looks totais mais estruturados, como na Glória Coelho.

Quimono
Lilly Sarti mostra uma bela versão de vestido tipo quimono de seda; a Osklen traz uma infinidade de roupões de mangonas lembrando o traje japonês; a Colcci usa o desenho do quimono para criar um vestido justo. Em muitos tops, as mangas abertas e o decote em V também lembram o vestuário japonês.

Sensualidade
Neste Inverno 2016, o sexy volta com tudo, como botões das camisas desabotoados, fendas nas saias e transparências. Da esportiva Ellus à alfaiataria de Giuliana Romanno, a sensualidade esteve presente nas peças. Helo Rocha mesclou misticismo com rendas e transparências sensuais, que também apareceram pontuando um ou outro look de Reinaldo Lourenço.

Fonte e imagem: FFW
Edição: Fernanda Peregrino, da FC Comunicação