sebrae inova

O objetivo do programa Inova, criado pelo Sebrae-SP é tornar as micro e pequenas empresas (MPEs) mais competitivas com soluções integradas. A iniciativa contempla ferramentas e ações para atender os segmentos de agronegócio, indústria, comércio e serviço abordando quatro pilares: gestão empresarial, tecnologia, mercado e serviços financeiros. O programa nasce com a ideia de impulsionar o negócio, propondo uma visão ampla de possibilidades e oportunidades a serem exploradas e desenvolvidas. “Nesse serviço, reunimos várias ações e projetos com o objetivo de aplicar não apenas ferramentas isoladas. São soluções sistêmicas que procuram criar as condições para que a empresa seja mais competitiva”, explica o gerente da Unidade de Atendimento Setorial do Sebrae-SP, Paulo Arruda. A iniciativa reúne cerca de 600 soluções tecnológicas do Sebrae-SP, de empresas especializadas contratadas e do Sistema S – os que estão no programa são: Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar); Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai); e Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). No setor agropecuário, as estratégias procuram atender a pecuária, atividade leiteira, plantio do café, fruticultura e olericultura. Na indústria, as prioridades serão os segmentos de alimentos e bebidas, automóveis, cerâmica, construção civil, couro e calçados, madeireiras e gráficas. Já nos setores de comércio e serviços, o foco serão lojas de material de construção, vestuário, bares e restaurantes, mercados e empresas ligadas ao turismo.

Participar do programa pode ser uma mudança de paradigmas para os empreendedores, acredita o gerente setorial. “O empresário terá uma nova visão estratégica do seu negócio, identificando oportunidades, desenvolvendo tecnologias e melhorando o objeto e a produtividade, o relacionamento com o cliente e os controles gerenciais, além de buscar recursos financeiros. Com isso, ele obterá indicadores mais favoráveis e poderá assumir uma posição mais competitiva no mercado”, avalia Arruda. Em um segundo momento, a ideia do programa é atingir a cadeia produtiva como um todo, fortalecendo o trabalho e o crescimento dos envolvidos, como exemplifica Paulo Arruda. “Se formos abordar a cadeia produtiva da confecção de vestuário, por exemplo, o programa atenderá o produtor do algodão, passando para a indústria têxtil e chegando aos lojistas”, explica. Para o Sebrae-SP, a iniciativa será um motor para os negócios dos donos de MPEs paulistas. “Queremos fortalecer a cadeia produtiva, com o auxílio a empresas que façam parte do processo”, observa Arruda. A expectativa é trabalhar, neste ano, diretamente com os setores e segmentos, em auxílios individuais ou em grupo para, em 2016, investir em atendimento às cadeias produtivas. “A intenção é atender às empresas que estão na fase inicial de estruturação. Pretendemos trabalhar com grandes grupos para que cada segmento esteja fortalecido em sua região”, comenta ele.

No início, o Sebrae-SP pretende realizar grandes eventos no Estado de São Paulo para sensibilizar as micro e pequenas empresas a buscar o programa. Serão realizados seminários e workshops para empresas em parceria com federações e parceiros locais. Os interessados em participar do programa Sebrae Inova devem procurar os escritórios regionais do Sebrae-SP para identificar quais são os setores e segmentos priorizados pelo programa em sua região e verificar se o ramo de negócio está dentro da cadeia produtiva que será trabalhada.

Confira mais matérias como essa na seção de “Estratégias de Mercado” aqui no Sebrae Mercados.