SiteCerta vez um consumidor, que estava com pressa e precisava de algumas informações sobre um determinado estabelecimento comercial, perguntou ao seu proprietário sobre o site da empresa, já que não o encontrava nos mecanismos de busca.

O empreendedor informou o endereço eletrônico, mas ressaltou que o comprador deveria ter procurado o telefone na lista telefônica. Surpreso, o cliente respondeu que não usava esse tipo de publicação há muitos anos, pois a internet fornece todos os dados necessários, e alertou ao comerciante que só usufrui dos benefícios do mundo online quem é facilmente encontrado na rede.

No site, além das informações sobre a empresa, deve ter ferramentas para otimizar o processo de aquisição dos serviços, uma vez que tempo hoje em dia é um recurso cada vez mais escasso.

Quem conta essa história é o Mário Almeida, diretor da S4W Marketing Digital, agência de marketing e branding, em artigo publicado no Webinsider. Para ele, essa história retrata a realidade de muitos empreendimentos brasileiros que, erroneamente, acreditam que pequenos negócios não precisam ter uma página na internet, ou ainda utilizam o site apenas como um cartão de visitas. “Ambos são formas de comunicação bem diferentes em sua essência, o primeiro é um impresso com dados para contato, o segundo, é uma ferramenta digital potencializadora de negócios”, afirma.

No texto, o especialista ressalta que no endereço eletrônico é possível oferecer uma experiência multimídia ao internauta e também ferramentas que agreguem valor para empresa, gerando assim uma plataforma diferenciada para negócios. “Entretanto, quem utiliza os instrumentos gratuitos para criação de websites está apenas deixando o cartão de visita ‘impresso’ na internet e perdendo inúmeras oportunidades de negócios”.

De acordo com ele, existem pelo menos três vantagens competitivas que um site trará para o negócio, principalmente aos pequenos empreendimentos que possuem orçamentos de marketing limitados. São elas:

  1. Ser facilmente encontrado.
  2. Construir reputação e relacionamento.
  3. Otimizar processos para novos negócios.

Para saber um pouco mais sobre cada um dos pontos apresentados acima, leia a íntegra do artigo.