Gamification

Em 1972 o mundo assistiu ao surgimento do primeiro console de jogo desenvolvido para ser conectado a um televisor: o Odyssey. Desde então, a sociedade presencia uma radical evolução da tecnologia voltada para jogos digitais e também uma exponencial abrangência de funcionalidades e finalidades para aplicação dos jogos digitais em diversificadas áreas de atividade econômica – o que configura um manancial de potencialidades para oportunidades empreendedoras.

Há quarenta anos, quando o Odyssey foi lançado no mercado, sua finalidade era, fundamentalmente, o entretenimento. Para operá-lo, o design e a tecnologia empregados exigiam alto grau de imobilidade de usuários e dispositos. Conectado ao televisor, um console realizava troca binária de sinais eletrônicos. Embora digital, o equipamento continha um circuito analógico de saída de vídeo, devido aos televisores que, na época, eram analógicos.

A ampliação do poder de processamento dos hardwares, o aumento da capacidade gráfica, a retirada da imobilidade do usuário que utiliza jogos por meio de dispositivos móveis, além da expansão da internet e da banda larga móvel propulsionaram o avanço tecnológico dos jogos digitais e também possibilitaram que os jogos transbordassem para as mais diferentes áreas de atividade, como arquitetura e construção civil, saúde, propaganda e publicidade, educação e defesa, treinamento e capacitação.

Isso reverberou em importantes benefícios para instituições e usuários. Na educação, por exemplo, a literatura acadêmica elenca que os jogos são provocadores motivacionais; facilitadores do aprendizado; promotores do desenvolvimento de habilidades cognitivas; fomentadores da exploração de descobertas; incentivadores da experimentação de novas identidades; causadores de socialização; desenvolvedores de coordenação motora e de habilidades espaciais.

Na área de treinamento e capacitação para formação profissional, os jogos – categorizados como Serius Game – podem ser aplicados tanto para aumentar a eficiência operacional como agente do desdobramento das estratégias empresariais. Além de contribuírem para a tomada de decisão e para o exercício do desempenho em papéis organizacionais diferenciados, os jogos no ambiente corporativo são amplamente reconhecidos como indutores de redução de custos com qualificação de pessoal.

Na propaganda e publicidade, os jogos digitais ou advergames são especialmente desenvolvidos para divulgar uma marca ou produto. Na construção civil, tanto exercem função de treinamento e capacitação – como orientar a correta execução do sistema construtivo – como tem finalidade mercadológica – ao propiciar interação de um potencial cliente com um ambiente de uma unidade imobiliária.

Para obter mais informações a respeito de jogos digitais e seu mercado, acesse: http://sebraemercados.com.br/?s=jogos+digitais&x=15&y=6