comportamento de compra do público masculino

Ficar atendo ao perfil de compra dos homens pode gerar boas oportunidades de negócios. Eles participam cada vez mais das atividades de compra da família e são os maiores responsáveis por compras em supermercado.

O cenário da economia atual, resultante da globalização e das transformações tecnológicas, acaba influenciando diversos grupos e setores da sociedade. Uma breve avaliação do público consumidor masculino permite as seguintes observações:

  • Maior responsável pelas compras de supermercado;
  • Traje casual no trabalho estimula o consumo de moda;
  • Até advogados e o mercado financeiro aboliram o terno!

Quanto aos idosos com mais de 60 anos:

  • Em 1970, 20% não tinham rendimento. Atualmente, apenas 2,4%;
  • Assumem 45% das despesas. Quando são chefes de família este percentual sobe para 69%;
  • Entre 1986 e 1998 dobrou o número de idosos com renda superior a 10 salários mínimos;
  • A maior parte trabalha, sendo que 60% são autônomos.

A Nova Economia produziu mudança significativa no perfil de compra dos homens. Veja as principais tendências:

Compras em supermercado

Os homens participam de forma crescente nas atividades de compra da família. São os maiores responsáveis por compras em supermercado.

Traje casual

No trabalho, o traje casual estimula consumo de moda. A maioria das empresas aboliu o uso do terno em troca do esporte fino. Os ternos da Vila Romana respondem por 40% das vendas contra 80% há cinco anos. Até os advogados e o mercado financeiro aboliram o terno!

Idosos: um filão atraente para novos negócios

O grupo de consumidores considerado idoso (acima de 60 anos) representa uma grande oportunidade. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 1998 eram 14 milhões (o equivalente a 8,8% da população) e, em 2020, conforme estimativa, serão 25,3 milhões, transformando-se em um filão cada vez mais atraente para novos negócios – ainda mais considerando que existe uma grande carência de produtos e serviços para esse grupo.

  • Os setores que já exploram essa parcela de consumidores são: serviços de venda de ingressos com transporte, hotéis, associações de prática de esportes, agências de turismo;
  • Moda, vestuário, além de segmentos relacionados à saúde, culinária, meio ambiente e decoração, compõem a lista de interesses especiais de pessoas idosas. Este público também gosta de praticar atividade física, dançar e viajar, tendo necessidade de integração social com grupos da mesma faixa etária;
  • Em 1970, 20% não tinham rendimento. Atualmente, apenas 2,4%. Aposentadorias do estado e de planos privados, associadas ao fato de que a maioria dos idosos trabalha, fazem com que a classe tenha potencial de compra;
  • Entre 1986 e 1998, dobrou o número de idosos com renda superior a dez salários mínimos e a maioria deles trabalha (60% são autônomos);
  • Os idosos assumem 45% das despesas e, quando são chefes de família, esse número chega a 69%. Como os filhos e, às vezes, os netos, continuam morando em casa, é comum que o idoso assuma as despesas familiares.

 

Hábitos de consumo dos idosos

  • 80% assistem TV;
  • 46% leem jornal;
  • 27% gostam de livros;
  • 31% alugam filmes em locadoras;
  • 36% têm telefone celular;
  • 92% das mulheres consomem cosméticos;
  • 57% compram produtos de maquilagem;
  • 55% têm cães e gatos;
  • 48% costumam cuidar de plantas.

 

Confira mais matérias como essa na seção de “Consumidor” aqui no Sebrae Mercados.