Transporte Pequenas Cargas_CapaMais do que uma oportunidade de negócio, o transporte de pequenas cargas é um serviço estrategicamente importante para o País. Além de contribuir para integrar setores produtivos e comerciais, especialmente os localizados dentro de um perímetro de curta distância, esse modal terrestre também pode contribuir para a redução do desperdício de alimentos – um problema que afeta toda a cadeia produtiva do setor de alimentos.

Há uma estimativa de que aproximadamente 35% de toda a produção agrícola brasileira terminam no lixo. O desperdício de alimentos começa na pré-colheita e atinge a etapa da colheita, mas alcança seu ponto mais alto na pós-colheita, com a falta de infraestrutura na rede de armazenagem e no transporte da produção. Mas não se encerram aí, as perdas que ultrapassam os limites do campo, chegam ao varejo e às cozinhas brasileiras.

Trata-se de desperdícios que encarecem os processos em toda a cadeia produtiva e têm potenciais soluções em diversas instâncias. Uma delas está na etapa do transporte que, com a manutenção de alimentos mais perecíveis em temperaturas de baixos níveis, prolonga a vida útil do produto em trânsito, reduzindo o metabolismo e retardando a deterioração.

Essa refrigeração representa uma oportunidade de diferencial altamente significativo no negócio de transporte de pequenas cargas. Mas caminhões com cargas refrigeradas exigem do seu condutor o compromisso de conhecer bem o equipamento a fim de melhor preservar a mercadoria durante as viagens.

Diferenciais para transporte de pequenas cargas

Um serviço que envolva pequenas cargas e fretes, realizado por meio de veículos de pequeno porte – como utilitários e pequenos caminhões – se configura como uma excelente oportunidade que tenha em vista o escoamento das produções regionais para consumidores geograficamente mais próximos.

O transporte de cargas fracionadas, ou seja, de mercadorias divididas em pequenas cargas que se caracteriza pelas curtas distâncias percorridas, tem com diferencial a rapidez na entrega. Por isso, fatores como pontualidade é condição mínima para que a empresa permaneça no mercado.

Além do diferencial de condicionamento refrigerado para distribuição alimentos e da pontualidade nas entregas, existem outras formas de diferenciação dos serviços de transporte de pequenas cargas e fretes, tais como:

  • Utilização de veículos sempre limpos e em bom estado de conservação;
  • Profissionais uniformizados, identificados e atenciosos;
  • Sistemas de rastreamento e controle de segurança;
  • Opção de carregamento e descarregamento.

Segundo o IBGE, o setor de transporte tem crescido consistentemente nos últimos anos, tanto em volume de cargas quanto em faturamento das empresas. Esse bom desempenho se explica pela recente expansão da safra agrícola e o aumento da produção industrial, além do crescimento do mercado varejista.

Para atuar neste segmento, é recomendável que a empresa se instale próximo dos pontos de demanda ou se posicione estrategicamente em relação à zona de mercado onde o serviço será oferecido.

Sugere-se também que o local escolhido esteja em regiões nas quais tanto a indústria como o comércio varejista sejam atuantes, ou então, no entorno de grandes áreas residenciais com perspectivas de crescimento e surgimento de novas construções.

Essa janela de oportunidade para serviços de transporte do pequeno distribuidor para o pequeno mercado, também terá eco no consumo da Copa do Mundo FIFA 2014. Ocasião em que se estimam mais de 600 mil turistas estrangeiros, além mais de 3 milhões de turistas brasileiros, demandarão por mais alimentos nos setores hoteleiro e gastronômico, além do varejo de alimentos.

Obtenha mais informação sobre logística e transporte na página eletrônica do Sebrae, através do link http://www.sebrae.com.br/setor/servicos/servicos-relacionados/logistica-transportes.