Enretenimento 2Viajar para conhecer novos horizontes é um desejo realizado, cada vez mais, por um número maior de pessoas. Encontrar nessas viagens experiências únicas é o esperado por todos.

Segundo os dados do Estudo da Demanda Turística Internacional do Ministério do Turismo, realizado em 2013, os estrangeiros vêm ao Brasil em busca de sol e praia, seguido da contemplação de belezas naturais, passeios ecológicos e de aventura.

Como consequência desse interesse pelo natural, vêm os gastos com lazer e entretenimento, fator que gera muitas oportunidades para os próximos meses.

Pesquisa divulgada, em 2013, pelo Instituto de Informações e Mídia da Nielsen Consultoria revelou que os brasileiros priorizam gastos extras com entretenimento, em vez de investir na poupança: 39% dos participantes preferem investir no lazer quando têm dinheiro sobrando.

Espera-se um aumento considerável do fluxo de pessoas durante os jogos da Copa do Mundo FIFA 2014. Não somente nas cidades-sede, mas também nas cidades que abrigam centros de treinamento para as seleções participantes.

Essa movimentação em torno das equipes e da competição oferece várias oportunidades de fornecimento de entretenimento, antes durante e após os jogos, para a diversão dos turistas que chegam e dos moradores locais. Especialmente se considerarmos que o público predominante na Copa é de jovens adultos do sexo masculino, boa parte deles vem sem a família com os amigos para aproveitar, além dos jogos, a possiblidade de se divertirem por onde passarem.

Apesar de um volume significativo de estrangeiros, vale alertar que o Ministério do Turismo (MTur) calcula que, durante a Copa do Mundo da FIFA 2014, haverá uma proporção de cinco turistas brasileiros para cada estrangeiro. A perspectiva é de um crescimento cada vez maior com a proximidade da Copa do Mundo FIFA 2014 e das Olimpíadas Rio 2016. Isso demonstra o quanto os grandes eventos são uma excelente oportunidade para ampliar a cartela de clientes nacionais, os quais inclusive poderão retornar outras vezes à cidade-sede onde teve uma experiência positiva.

Porque investir também em atrativos noturnos?

Por que a vida noturna é um dos principais motivos que faz um visitante estender a sua estada em uma cidade. Há cinco anos, a SP Turis, órgão da prefeitura de São Paulo – uma das cidades brasileiras que mais oferece opções de entretenimento noturno – realiza uma pesquisa sobre esse comportamento. No ano passado, 21% dos visitantes decidiram ficar mais tempo na cidade para ir a casas noturnas.

Obviamente, cidades do Nordeste, como, por exemplo, a capital do RN (Natal) deverão encontrar formas de competir com a atratividade das grandes metrópoles como São Paulo. Uma alternativa é investir em espaços que valorizem o ambiente praiano, que é tão convidativo, ao invés de investir em megaestruturas metálicas e frias que podem facilmente serem superadas pelas cidades maiores.

Amanhecer dançando em um local que oferece, além de boa infraestrutura, uma mistura de música, bebidas e clima praiano pode vir a ser tão atrativo, ou ainda mais inesquecível, que conhecer uma boate da moda.

Mas na hora de desenhar o plano de negócio de um empreendimento focado no entretenimento é importante ter dados sobre o perfil dos turistas que visitam a cidade. Ainda exemplificando Natal, segundo uma pesquisa feita pela Fecomércio do Rio Grande do Norte sobre o perfil do turista que vai à Natal, há os seguintes dados:

  • Cerca de um terço (32,8%) dos entrevistados, declarou ter renda situada entre R$ 3.001,00 e R$ 6.000,00 reais.
  • Outra parcela de turistas, 24,5%, disse ter renda até R$ 3.000,00 reais;
  • E ainda, 19,8% dos entrevistados declarou ter renda entre R$ 6.001,00 e R$ 9.000,00.
  • Outros 11,8% têm renda acima de R$ 12.000,00 reais.

A fatia de 24,5% citada são os turistas que economizam e planejam, por até 3 meses de antecedência, a viagem. Esse perfil busca por peculiaridades culturais encontradas somente na cidade.

A pesquisa diz ainda que, em média, cada visitante gasta R$ 795,78 (setecentos e noventa e cinco reais e setenta e oito centavos) com diversão, após gastos com hospedagem, alimentação e transporte.

A considerar todos estes dados sobre a demanda turística e o perfil do turista, investir em entretenimento é um bom negócio.  Entretanto, recomenda-se a busca por informações da localidade na qual se pretende instalar o negócio.

O SEBRAE, baseado em pesquisas de oportunidades para este ano, criou a série Ideias de Negócios para 2014. No tema Economia Criativa há sobre a Organização de Espetáculos, Shows e Festas Populares. Nele é explicado como a realização de espetáculos, shows e festas populares são atividades de produção de eventos que terão grande potencial de crescimento na Copa do Mundo da FIFA 2014. Eventos com qualidade na estrutura, com boas escolhas artísticas e uma divulgação eficiente, terão garantia de sucesso e de espaço no mercado.