De um produto marginalizado ao status de bebida fina e requintada, a cachaça caiu no gosto do brasileiro e dos consumidores estrangeiros e vem ganhando cada vez mais uma imagem positiva no mercado nacional e internacional.

sebrae mercados, mudanças no perfil do consumidor de cachaça, expocachaça 2014.

Ainda que o contexto histórico da cachaça seja carregado de aspectos negativos, principalmente relacionados ao preço baixo de marcas populares e à associação do consumo da bebida com as classes financeiramente menos favorecidas, seu perfil de consumidores tem mudado principalmente na última década. Obviamente, os aspectos negativos supracitados conferiram à cachaça e a seu consumidor certo estigma de marginalidade no rol das bebidas alcoólicas, mas o recente reconhecimento internacional tem contribuído para diminuir a rejeição dos próprios brasileiros, o que tem carregado à cachaça um status de bebida fina e requintada.

A mudança no status do produto se reflete em sua presença em lojas especializadas, restaurantes sofisticados e até no comércio eletrônico. Nesse sentido, é extremamente importante a realização de ações marketing para ratificar a qualidade do produto e sua expansão no mercado internacional, o que se contrapõe à antiga imagem da bebida. Esse novo contexto, favorável à cachaça, pode ser ilustrado pelo destaque obtido por várias marcas, as quais consolidam sua imagem de produto de grande qualidade. São marcas de cachaça cujas vendas cresceram no comércio nacional e internacional, estando presentes nos melhores restaurantes e adegas do Brasil e do mundo.

O perfil de consumidores de interesse, portanto, relaciona-se àqueles que formam a cadeia gastronômica, principalmente bares e restaurantes de grandes cidades, bem como aqueles localizados em cidades de apelo turístico. O perfil de consumo caracteriza-se então pelo desejo de apreciar uma bebida de qualidades sensoriais agradáveis e carregada de orgulho nacional. Para produtores de menor porte, essas características conferem forte oportunidade, tendo em vista que estes conseguem ter maior controle da qualidade do produto e da obtenção de características sensoriais específicas, através de cuidadosos processos de moagem, filtragem, fermentação, destilação e envelhecimento, além de acabamento em embalagens diferenciadas.

O público da feira demonstra uma amostra interessante do perfil consumidor da cachaça no Brasil e no mundo. Nas bancas dos diversos produtores, sempre era possível identificar conversas sobre o processo de envelhecimento, diferença entre as madeira utilizadas, os diferentes sabores, as premiações e perguntas conceituais sobre a existência de diferenças entre cachaça, pingas e aguardentes. Percebe-se que o público tem uma grande curiosidade sobre o produto e gosta de ouvir a história dos produtores.

O perfil do consumidor também é muito variado. Em geral, os produtores têm dividido o mercado entre o consumidor de massa, que não estaria muito interessado em qualidade e sim no preço e o público mais especializado, que estaria acostumado a bons produtos e, dessa maneira, exigiria um produto mais diferenciado e com maior valor agregado. Mesmo o público de massa já estaria interessado num produto mais “palatável”. Contudo, ainda existiria uma forte influência do fator preço sobre sua escolha.

Fez muito sucesso na feira as cachaças que tinham sabores diferenciados. O público frequentemente perguntou se o produto era envelhecido em barril de carvalho e demonstrou curiosidade sobre o tipo de madeira utilizado.

Dentre os fatores demandados pelos consumidores, de maneira geral estão associados às características sensoriais do produto, como acidez mais baixa, processo de envelhecimento, aos aromas e sabores, a apresentação e disponibilidade do produto e ao preço. Em um segundo grupo de pontos observados pelos consumidores, estaria a classificação como produto orgânico e as premiações em festivais nacionais e internacionais.

O consumidor final ainda parece demonstrar pouca preocupação quanto a questões como certificação, selos de qualidade e região onde o produto é produzido. A disponibilidade (possibilidade de conhecer e ter acesso ao produto) e o preço ainda são fatores determinantes para a escolha do produto a ser demandado.

Quer saber mais sobre o segmento da cachaça? Acesse a seção de Agro do Sebrae Mercados.

Fonte: Sebrae Mercados | Expocachaça 2014