Ponto de venda_1

Conceitualmente um logotipo refere-se à forma particular como o nome da marca é representado graficamente, pela escolha ou desenho de uma tipografia específica. É um dos elementos gráficos de composição de uma marca, algumas vezes é o único, tornando-se a principal representação gráfica da mesma. A expressão costuma ser confundida com o termo logomarca, que, embora difundido na linguagem cotidiana é considerado por designers profissionais e acadêmicos um neologismo impreciso e incorreto (Wikipédia). Sem se apegar tanto a definições acadêmicas, uma parte ou um todo de uma representação gráfica, o logotipo da empresa é a porta de entrada que convida o consumidor a conhecer e explorar o serviço ou produto vendido. É a forma como o cliente reconhece a empresa e/ou produto ou serviços.

Cores, formas, símbolos, desenhos, ilustrações, letras, tudo pode compor a logo de uma empresa, sua marca. Marcas de grandes empresas, como a da Coca-Cola podem se tornar imensuráveis, tamanha a sua importância no mercado. E a relevância deste elemento não se resume somente as grandes. Micro e pequenas empresas devem ser cautelosas, cuidadosas e exigentes na elaboração de suas logos.

É importante ter em mente que para se obter uma logo que funcione o processo não é tão simples. É preciso o auxílio de profissionais, pois não é só pegar umas cores, umas palavras, um símbolo, misturar tudo e voilà. Conhecer o mercado primeiramente é essencial. O empresário precisa saber exatamente para quem irá vender sua imagem, quem é o seu cliente, o que a concorrência já fez em termos de logo, etc. Assim ficará mais fácil “emoldurar” um conceito dentro da sua marca.

Observar o que os outros estão fazendo é importante, mas não significa que você deva fazer também, fuja de modismos, eles podem ser perigosos e perecíveis. Explore as cores dando importância aos seus significados e as sensações que despertam. Segundo Daniela Moreira em seu artigo para o Portal da “Pequenas Empresas, Grandes Negócios”, juntas as cores podem ressaltar sua marca e proposta como empresa ou podem também confundir o público e distanciá-lo.

Uma dica extremamente importante é: incorpore o termo “menos é mais” para sua logo. A simplicidade é um dos principais componentes de um logotipo. Muitas cores, desenhos, símbolos e fontes extravagantes podem transformar sua marca em algo confuso e difícil do seu público-alvo assimilar. Além disso, é importante ter em mente que seu logo será reproduzido em diferentes locais e tamanhos, como jornais, outdoors, adesivos e placas, entre outros. Muitos elementos e cores com certeza irão dificultar a reprodução final. Vale ressaltar ainda que ser simples não quer dizer não ser sólido ou marcante. (Daniela Moreira)

Pensar uma boa logo, permitir que ela seja elaborada com o auxílio de profissionais (designers, diretores de arte, agências de publicidade) e usá-la corretamente, são ações obrigatórias para o posicionamento de sua empresa no mercado e para reforço de sua imagem e personalidade.

Não subestime esse “instrumento” de comunicação.

Fonte: Portal da Revista “Pequenas Empresas, Grandes Negócios”: http://revistapegn.globo.com/