O segmento de beleza vive um ponto de ruptura por exigência dos consumidores e pelo próprio modelo de negócio que foi se aperfeiçoando, transformando e especializando com o passar dos anos. De um lado, estão os grandes salões que reúnem serviço premium em um ambiente de alta classe com preços valorizados. De outro, surgem os espaços segmentados, como as esmalterias e as lojas de escovação dos fios, que priorizam um serviço eficiente, com a relação entre preço e tempo marcante.

duas meninas

Há ainda os salões que adotam o posicionamento de “boutique”, em que a qualidade da experiência e o atendimento por múltiplos profissionais são os diferenciais. Esse modelo de negócio soma serviços de “SPA”, “nailbar”, cabelo e maquiagem em um atendimento personalizado com produtos de alto valor agregado e profissionais que atuam não apenas na execução direta dos serviços, mas em uma consultoria de beleza.

Outro aspecto que ganha potência dentro dos empreendimentos de beleza é a experiência do consumidor, que busca não apenas um serviço que o torne mais bonito, como também um momento de satisfação e prazer. Neste aspecto, muitos salões têm aberto espaço para o diálogo com a equipe e criado maneiras de potencializar a vivência do cliente com cuidados simples, como oferecer uma bebida, fazer uma pequena massagem ou mesmo ter uma música suave tocando durante o serviço.

Espaços temáticos para atrair nichos de públicos diferentes também chegam cada vez mais fortes aos salões. Além dos tradicionais ambientes para crianças, os empreendimentos abrem áreas específicas para pré- adolescentes masculinos e femininos com decoração, música, revistas e até tablets que completam a experiência do consumidor jovem de estar em um salão com a sua cara.

 Saiba mais sobre nosso Boletim de Tendências em Negócios de Beleza