Vantagens das vendas diretas para consumidores, vendedores e empresas.

Vendas Diretas 

Ao contrário do que muitos pensam, o crescimento das vendas online não está impedindo o crescimento das vendas diretas.  Ao mesmo tempo em que a internet conquista dia a dia novos adeptos, o sistema de distribuição, que antes era conhecido como porta a porta, também cresce e angaria tanto novos consumidores como novas categorias de produtos.

Até poucos anos atrás, cosméticos, higiene pessoal e perfumaria participavam com 90% do volume de vendas diretas no país. Porém, nos anos mais recentes, a entrada de empresas de outros segmentos (como os varejistas de eletrodomésticos e eletroeletrônicos e os fabricantes de moda íntima) provocou uma queda dessa participação, que hoje representa 80%. Mesmo assim é uma taxa bastante elevada quando comparada a outros países do mundo.  De acordo com a World Federation of Direct Selling Associations (WFDSA), a federação mundial do setor, a média global da participação de cosméticos e itens de cuidado pessoal nas vendas diretas é de 35%.

O Brasil atualmente posiciona-se como o quarto maior mercado do mundo em volume de vendas porta a porta, perdendo apenas para os Estados Unidos, o Japão e a China. Em 2013, as vendas diretas movimentaram no país R$ 41,6 bilhões em volume de negócios – um crescimento de 7,2% em relação ao ano anterior.

Vantagens das Vendas Diretas

A Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD) define a venda direta como um sistema diferenciado de comercialização de bens de consumo e serviços, baseado no contato pessoal, entre vendedores e compradores, fora de um estabelecimento comercial fixo. Empresas, vendedores e consumidores obtêm vantagens significativas nesse modo de distribuição.

É um mito pensar que a internet irá acabar com as vendas porta a porta. É justamente a humanização envolvida no processo, que garante aos consumidores vantagens como atendimento personalizado, comodidade e a possibilidade de receber uma informação bastante orientada para seus desejos e necessidades, que faz o sistema crescer.

A venda porta a porta possibilita uma interação intensa entre o vendedor e o cliente, propiciando a criação de um vínculo entre ambos, agregando mais do que uma relação puramente econômica entre os envolvidos.

Para vendedores, horário flexível e perspectivas de novos amigos ou clientes são apontadas como vantagens, além da perspectiva de incremento da renda doméstica. Dependendo da empresa a qual se vincula, o vendedor pode ter a oportunidade ainda de incorporar um ganho adicional de bônus pela prestação de serviços como recrutamento e treinamento de novos distribuidores para aderiram ao sistema. Neste caso, as empresas definem critérios para a qualificação e a remuneração daqueles que desenvolvem as melhores equipes, oferecendo prêmios e vantagens financeiras aos que se destacam.

Para as empresas, representa um canal de distribuição com grande potencial de expansão geográfica, capaz de agregar valor aos seus produtos e serviços por meio das relações pessoais. É o chamado Marketing Multinível ou Marketing de Rede. Mais sobre esse assunto no artigo O melhor negócio do terceiro milênio, publicado no website da ABEVD.

Formalização

Grande parte dos vendedores que trabalham com vendas diretas não possui um vínculo empregatício com a marca que representam, mas isto não impede a opção de se formalizar para garantir todos os benefícios que o trabalhador com carteira assinada tem. O vendedor porta a porta se encaixa na definição do Micro Empreendedor Individual (MEI) e, através de um processo simples, pode se formalizar para ter direito a aposentadoria, seguro desemprego, entre outros benefícios. Ideal quando a venda porta a porta é a única atividade da pessoa e não um complemento de renda, como muitos fazem.

Qualquer que seja o seu caso é importante lembrar que o Sebrae está à disposição para oferecer cursos, palestras e treinamento para o micro e pequeno empreendedor do ramo. Basta entrar em contato com o Sebrae do seu estado para saber como a instituição pode ajudá-lo.

Alerta!

Em 2014, o Rio de Janeiro vai sediar o XIV Congresso Mundial da WFDSA. O evento promoverá a discussão sobre negócios na era digital, convergência de mídias sociais, potencial do segmento móbile, engajamento e mobilização social, ‘empoderamento’ das mulheres com as vendas diretas, assim como as perspectivas para os próximos 10 anos.

Veja mais informações neste link: Vendas Diretas / A rede social original