consumidor_joia_500x500

Conheça o perfil do consumidor de joias

O empresário que conhece seu público e direciona seus esforços para melhor atender a seus desejos e preferências, tem mais chances de atrair e manter seus clientes. Nos segmentos ligados aos produtos e serviços de maior valor agregado, essa necessidade é ainda mais evidente, já que o consumidor conhece sua importância e se mostra cada vez mais exigente. Lembre-se: o retorno financeiro é consequência direta da preferência dos consumidores.

No segmento de joias, os consumidores são conquistados pelo estilo (design) dos produtos, personalidade da marca, qualidade das peças e dos serviços pré e pós-venda e confiabilidade – a avaliação da legitimidade dos produtos requer conhecimento técnico específico. Saiba mais e adéque a sua marca ou varejo:

  • Encantamento - A compra de uma joia envolve elementos muito subjetivos, expressa sentimentos, boas lembranças, reforça um estilo pessoal, entre outros aspectos. Cada detalhe, tanto do produto quanto do atendimento, pode criar ou destruir o encantamento. A experiência de compra deve proporcionar uma sensação agradável.
  • Confiança - O consumidor busca confiança numa marca de joias. Como é necessário certo conhecimento técnico para avaliar se o produto que se está adquirindo é legítimo, o consumidor acaba buscando um relacionamento mais estreito com a marca e com o próprio consultor de vendas.
  • Valor - Como o valor de uma joia geralmente é maior que de uma peça de vestuário ou acessório, a decisão de compra é mais demorada e demanda maior confiança.
  • Ciclo de vida - Se comparada a outro produto de moda, e ainda que sujeita às tendências, seu ciclo de vida é muito superior. Uma joia pode nos acompanhar por toda a vida e ainda passar para outras gerações, fato que confere grande significado emocional ao produto. Reforçar esse aspecto sentimental no cliente pode ser decisivo na venda.

Consumo de joias

Estudo do Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos (IBGM), realizado em parceria com a Ayr Consulting, aponta o perfil dos consumidores brasileiros de joias. A pesquisa foi realizada por meio da metodologia de coolhunting (observação de consumidores em seus momentos de vivência), e teve foco principal em São Paulo e Rio de Janeiro. O estudo segmentou os consumidores em seis perfis diferentes:

  • Ancestral (Tradição) - Mais ligado às tradições da marca e um estilo mais clássico. A história da joia lhe atrai, apresentando interesse sobre seu conceito, origem das gemas e do metal, a inspiração do design.
  • Renew (Movimento) - Mais sensível às novidades que expressem sua individualidade. Gostam de ter opções, procurando joias versáteis e dão imenso valor a releituras de peças clássicas.
  • Fair Cost (preço justo) - Busca a melhor relação preço x qualidade, adoram uma promoção e descontos. Gastam apenas com o que realmente desejam.
  • Connection (Interligado) - Aprecia marcas com consistente presença on-line, tanto na prestação de serviços e informações quanto na interação via redes sociais.
  • Manufacturing (Gosto de entender) - Interessa-se pelos detalhes da concepção e produção da joia. Busca entender a inovação, tecnologia das peças e a criatividade, ou seja, quer saber como se faz.
  • Lifelike (sustentável) - Sensível à sustentabilidade ambiental e social, procura produtos e serviços que produzam menor impacto possível para o planeta.

Consumo de joias por e-commerce em 2014

O site Joias Brasil, especializado em e-commerce voltado para o varejo de joias finas, realizou um levantamento sobre os gastos em compras pela internet. Confira os dados da pesquisa:

  • R$760 foi o gasto médio das mulheres com joias e enfeites de ouro.
  • O Rio de Janeiro foi a segunda região com maior número de transações, cerca de 11%.
  • Os produtos mais procurados foram: anéis de formatura, solitários, alianças de ouro, brincos infantis e pingentes.
  • 40% das compras são realizadas por homens para presentear esposas, familiares e amigos.

Consumidores potenciais

Com a ascensão das classes médias, os produtos passaram a estar ao alcance de um número maior de consumidores. De acordo com estudo realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pelo portal Meu Bolso Feliz, o significado do luxo para os brasileiros das classes A, B e C mudou. Não existe um único conceito sobre o que é luxo, mas sim novas concepções, de forma que o luxo seja possível e acessível a todos.

Confira algumas características do consumidor de produtos e serviços de luxo:

  • R$ 18 mil é a média do total gasto anualmente pelos consumidores brasileiros com serviços ou produtos de luxo, o que corresponde a cerca de 35% da sua renda mensal;
  • 68% do total de consumidores deste mercado que pertencem à classe C;
  • 63% deles têm entre 25 e 55 anos;
  • A maioria dos consumidores pesquisa os produtos de luxo on-line, mas prefere realizar suas compras em pontos de venda físicos, como shoppings.

Com informações do Sebrae Inteligência Setorial.
Edição: Fernanda Peregrino, da FC Comunicação.
Imagem: pixabay.com