A ideia de compartilhar roupas como negócio se origina da economia compartilhada. Esse modelo de negócio tem sido aceito pelos clientes porque abre a possibilidade de renovar o guarda-roupa sem precisar adquirir novas peças.

Nesse modelo de divisão de roupas, está por trás o conceito da inovação disruptiva, uma profunda mudança que introduz novos benefícios ao mercado, muitas vezes a um menor custo. Rompendo paradigmas, desacomoda modelos consolidados. Um exemplo é o efeito gerado pelo uso da internet nos hábitos de consumo, o que gerou um novo canal de comercialização para as empresas, a custos mais baixos.

Desta forma, o Boletim de Tendências do Sebrae/RJ visa apresentar como o compartilhamento de roupas é uma opção de negócio ao empresário da moda e varejo.

Confira aqui!

compartilhamento roupa boletim