Cerveja Artesanal_2

O Brasil é um dos maiores consumidores de cerveja do mundo. A média anual de litros consumidos por cada habitante cresce ano a ano. Uma pesquisa realizada pelo Ibope em novembro de 2013 revela que a cerveja é a bebida preferida de 2/3 dos brasileiros para comemorações, com 64% da preferência.

Enquanto a classe C opta pelas grandes marcas, as classes A e B buscam a produtos que apresentem diferenciação. Atributo fortemente encontrado nas cervejas artesanais, cujo consumo é majoritariamente masculino, com idades entre 18 e 65 anos. As mulheres que as consomem têm entre 30 e 65 anos, de acordo com dados da Associação Brasileira de Bebidas – Abrabe.

Micro cervejarias e importadoras estão ocupando um importante espaço no mercado nacional. As chamadas cervejas especiais, que reúnem — segundo a Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil) — as artesanais, as importadas e as industriais de categoria premium, ocupam hoje 5% do mercado e têm previsão de dobrar o número de vendas nos próximos cinco anos.

Na última década, a produção de cerveja no Brasil cresceu impressionantes 64%, saltando de 8,2 bilhões para 13,4 bilhões de litros anuais, segundo dados do Sicobe (Sistema de Controle de Produção de Bebidas da Receita Federal). É um mercado em franca expansão: o Brasil é o terceiro maior produtor do mundo, atrás de Estados Unidos e China e supera a Rússia e a Alemanha.

Apesar do reconhecimento de que o país atravessa um ótimo momento para quem quer investir na produção de cervejas artesanais, existem outras potencialidades de negócios que podem se revelar como um excelente canal de distribuição de um produto tão apreciado por brasileiros.

 

Para lucrar com cerveja especial

Ser um fraqueado de uma marca já estabelecida é uma opção. Além de obter suporte da empresa franqueadora, o empreendedor começa o negócio com um produto que tem penetração no mercado. A Mr. Beer é um exemplo. Nascida em São Paulo, hoje a marca tem 80 unidades espalhadas em 23 estados do Brasil.

Empresários de bares, restaurantes, pubs e afins, já estabelecidos, têm potencialidade de alcançar o consumo desses produtos com a ampliação da carta de cervejas. Uma das alternativas para identificar os possíveis fornecedores é frequentar as feiras do setor, onde será possível conversar diretamente com produtores e estabelecer as novas parcerias. Leia o artigo Feiras de Negócios: porque participar e conheça outras vantagens de visitar um evento como esse.

No ambiente digital, surgem os negócios fundamentados em modelo de assinaturas, no qual o cliente realiza a aquisição de determinado produto ou serviço por um período de tempo, cuja frequência que pode ser bem variada: semanal, quinzenal, mensal, bimensal etc. A comercialização de produtos premium, por intermédio desse modelo no canal eletrônico, tem encontrado boa receptividade por parte dos consumidores.

Leia mais conteúdo relacionado ao tema em: