O Sebrae traz informações, por meio da série Perfil de Projetos, ao empreendedor sobre o cultivo do Crisântemo, uma das flores de corte mais vendidas no Brasil.

sebrae mercados, cultivo de crisântemos

Os crisântemos, originários do Extremo Oriente, são cultivados há mais de dois milênios e usados como enfeites em diferentes ocasiões e festividades, em função de sua bela florada, de colorido delicado e formatos típicos, vem ampliando sua participação no mercado nacional e internacional nos últimos anos. Desde sua chegada ao Ocidente, há pouco mais de 100 anos, passou por vários processos de hibridação, atingindo uma enorme gama de formas, cores e tamanhos das inflorescências; por esta razão, o crisântemo, atualmente é multiplicado vegetativamente e não por sementes.

No crisântemo, o que chamamos de flor é na verdade uma inflorescência, ou seja, é um conjunto de flores concentrado em uma só base; cada elemento presente nesta base é uma flor, possuindo estame, estigma, estilete e ovário.

A classificação do crisântemo é feita de acordo com o tipo de inflorescência (formato, tamanho e disposição das flores na inflorescência) ou quanto à resposta fotoperiódica (comprimento do dia necessário para que ocorra a indução floral).

Existem espécies que produzem flores singelas e outras que apresentam flores dobradas. O colorido é muito variado, atinge desde o branco até matizes de cor-de-rosa e alaranjado, passando pelo amarelo, vermelho, ferrugem e outras.

O fotoperíodo é o número de horas que a planta fica exposta à luz durante o ciclo de 24 horas. O crisântemo é uma planta de dias curtos, isto é, ocorre a indução floral quando o comprimento do dia fica inferior a um valor crítico. Para a maioria das variedades comerciais é de 13 horas. As variedades precoces florescem de 7 a 9 semanas de Dia Curto.

As variedades medianas florescem de 10 a 12 semanas de Dia Curto e as variedades tardias florescem de 13 a 15 semanas de Dia Curto

Para saber mais acesse: Unidade produtora de flores de corte

Fonte: Sebrae.com.br