Hoteis-alerta-ago-266x133

O cenário de recessão econômica que o país enfrenta requer esforços por parte dos empresários para descobrir como atrair clientes novos e fidelizar os já existentes.

Entretanto não há uma fórmula pronta para isso! Especialistas da área acreditam que mais do que pensar de maneira estratégica, em momentos de crise econômica é importante observar como seu cliente reage a ela (quais os cortes de despesas que fará e que acarretarão novos hábitos).

Lembrando que ao contrario do que muitos pensam, em tempos difíceis nem sempre o consumidor corta gastos tidos como superfulos. Alguns fazem justamente o contrário, preferindo economizar com gastos essenciais para não abrir mão de alguns luxos.  

Confira algumas dicas que podem trazer um retorno a curto prazo para seu negócio:

 ·                    Investir em degustações e outros tipos de eventos gastronômicos costuma atrair ao local um público com perfil diferente do comum;

·                    Adaptar alguns cômodos para ambientes de coworking permite que o local seja

utilizado para atividades profissionais rápidas, como reuniões ou sessões de terapia, por exemplo;

·                    Organizar festas abertas ao público possibilita um melhor aproveitamento de algumas áreas do hotel, como terraços, e ainda permite que moradores da região conheçam o estabelecimento;

·                    Criar um sistema de hospedagem por horas, e não por dia, faz com que o hotel

consiga atender clientes que precisam se hospedar por um tempo reduzido;

 ·                    Oferecer opções de quartos compartilhados, atingindo o público mochileiro que

costuma investir pouco na hospedagem e não se importa de dividi la com desconhecidos;

Para pensar em novos modelos de serviços, é preciso ter visão inovadora. Além disso, colocar em prática alguns métodos criativos pode contribuir bastante.

É interessante reunir uma equipe com pessoas de diferentes áreas, que possam dar sugestões complementares. Nenhuma ideia deve ser descartada de início.

Conheça a metodologia do design thinking e veja como ela pode trazer bons resultados 

para sua empresa:

 

Entenda o design thinking.

 

O design thinking como ferramenta estratégica para pequenos negócios.

 

Design de serviços: envolva as pessoas e crie negócios encantadores.

 

Conheça algumas ferramentas utilizadas no design thinking.

 

 

Busque apoio do Sebrae para identificar outras maneiras de melhorar e fortalecer o seu negócio. Procure o Sebrae mais próximoou ligue para 0800 570 0800 para falar com um  de nossos consultores.

Veja a matéria que inspirou esse alerta:

 

Hotéis buscam alternativas para reinventar o negócio

 

Revista Hotéis | Por: Raiza O. Santos

 

Pensar fora da caixa. É o que estão fazendo muitos empreendedores da hotelaria nos últimos tempos para garantir a alta ocupação e oferecer mais que “apenas uma diária”. Muitos empreendimentos estão buscando alternativas criativas e de rápido retorno para potencializar a receita e gerar renda, principalmente nos últimos tempos incertos da economia.

 

Ao mesmo tempo, as mudanças que todo negócio deve passar para manter sua competitividade devem ser realizadas com cautela e estudo, pois medidas desesperadas e repentinas podem confundir o cliente e passar uma imagem ruim. Uma solução que pode virar outro problema.

 

A partir de muito planejamento e com a ajuda das Olimpíadas do Rio de Janeiro, o mercado hoteleiro ainda espera que 2016 seja um ano em que o setor dê os primeiros passos para recuperação, e com isso, os gestores têm se desdobrado para atrair mais clientes.

 

Contudo, independente do momento econômico, a necessidade de inovação em hotelaria é inerente ao cotidiano e necessária para garantia da competitividade, já que o hóspede está cada vez mais informado e seletivo. Sendo assim, a inovação também refere se à busca por oportunidade e ao bom uso das mesmas, e os riscos fazem parte do cotidiano de qualquer negócio; a diferença é que há a possibilidade de sofrer os riscos de forma calculada, ou seja: buscando e avaliando alternativas para tomadas de decisões; procurando reduzir as chances de erro através de informações claras das situações que se pode enfrentar e aceitando desafios moderados avaliando a disponibilidade de enfrentamento que as consequências da tomada de decisão podem acarretar.

 

Confira a matéria na íntegra na fonte original.